Refeições em família tornam a criança mais confiante

Como são as refeições aí na sua casa?

Por aqui, sentamos todos juntos, oramos antes de começar a comer, dando graças e abençoando a refeição e só depois nos servimos. Depois das orações, admito, de vem em quando permitimos uma TV por conta do jornal da hora do almoço, mas celulares e iPads nunca ficam na mão. Isso permite que troquemos ideias neste horário, que eu preste atenção em quem comeu o quê, se mastigaram direito, como estão seus modos e tanta coisa que só quem come junto sabe!

“A mesa é um local que favorece a união porque as pessoas precisam ficar sentadas, se olham no olho e o diálogo acontece.”

Mas nosso padrão n ão é o normal.

Muitas famílias vivem em tanta correria que o filho só consegue terminar o sanduíche dentro do carro, o marido sai mais cedo e acaba comendo na padaria, na hora do jantar está todo mundo tão cansado que só o que vocês conseguem fazer é se jogar no sofá e comer um “macarrão no copo” ou umas esfirras na mão.

Falamos sobre essa realidade no review do livro “A experiência da mesa“, de Devi Titus, que amo!

E vale a pena colocar uma mudança neste jeito de viver como prioridade para o ano novo:

Uma pesquisa realizada com 34 mil crianças e adolescentes pelo Literacy Trust, uma instituição inglesa dedicada à alfabetização e incentivo à leitura, concluiu que conversar durante as refeições ajuda a criar filhos mais confiantes. Para chegar a esse resultado, as crianças responderam como era o momento das refeições em suas casas e algumas perguntas que indiretamente avaliaram suas habilidades sociais e comunicativas.

Veja os resultados:

  • 87% das crianças sentavam com as famílias durante a refeição, mas desse grupo uma em cada quatro não dialogava com os pais ou irmãos.
  • Entre aquelas que sempre comiam com os pais e conversavam durante as refeições, 75% disseram se sentir à vontade para participar de debates na sala de aula.
  • Entre os que não conversavam, esse número caiu para 57%.
  • Quando perguntados sobre como se sentiam ao falar na frente dos amigos na classe, no primeiro grupo 62% disseram se sentir bem, comparado com 47% no segundo.

Por meio desses parâmetros, os responsáveis pela pesquisa concluíram que conversar durante as refeições é uma ótima ferramenta para filhos e pais.

A pesquisa mostra a importância da comunicação em família. A mesa é um local que favorece essa união porque as pessoas precisam ficam sentadas, se olham no olho e o diálogo acontece. Mas essas trocas não devem acontecer só nesses momentos, ara as famílias que moram em grandes centros urbanos é difícil exigir que façam as três refeições reunidas. A dica é tentar reservar pelo menos uma delas para sentar e comer com calma. Se um dos pais não tem hora para chegar em casa, tente organizar a rotina pela manhã para tomar o café em família. Se as noites são mais tranquilas, comam juntos no jantar. O mais importante é que a refeição seja bem feita e vocês tenham tempo de conversar. Saber como foi o dia, quais as novidades na escola, se ele está gostando das aulas de natação, se tem falado com a avó… O principal é a interação e que os pais mostrem interesse pela vida dos filhos”, explica a terapeuta familiar Teresa Bonumá.

Uma dica valiosa: não deixe a tecnologia ficar sempre entre vocês.

  • Na hora de comer, desligue a televisão.
  • Checar e-mails no smartphone? Esqueça.

http://www.maecomfilhos.blog.br/2017/03/receita-facil-para-fazer-com-filhos-paozinho-roseta.html

Outro ponto levantado pela nutricionista Marisa Resende Coutinho, do Hospital São Camilo (SP), sobre o valor de fazer refeições em família é a formação do hábito alimentar.

“As crianças menores ainda estão aprendendo a comer. Precisamos colocar os alimentos na mesa, fazer com que elas sintam o gosto e percebam o que estão comendo.”

Além disso, observar o que os pais estão comendo estimula a curiosidade da criança.

“Os pais são o grande exemplo em relação à alimentação. Não adianta você querer que seu filho coma cenoura se ele nunca viu você fazendo isso. A mesma coisa vale para os alimentos que você não quer apresentar ao seu filho: se a ideia é adiar a ingestão de refrigerantes, por exemplo, evite tomar aquela latinha na frente das crianças – elas com certeza vão pedir para experimentar!”

(Com informações da Revista Crescer e Antroposofia)

2 comentários

  1. Sam, eu tenho em mente o quanto é importante as refeições em família, nem sempre conseguimos, mas, antes qd moramos num apartamento maior e tínhamos uma mesa reuníamos nos fins de semana pra essas refeições juntas. A pouco tempo nos mudamos desta vez para uma casa, mas, um pouco menor. Apesar da liberdade do lado de fora pra brincar, pois é uma casa se vila, ainda não temos mesa em casa. Precisamos urgente! E acabamos por nos reunir no sofá na sala, inevitavelmente a TV sempre está ligada… Precisamos rever com certeza. Amei o post e alerta, vou colocar como prioridade. Bjs, Cris

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s