Adaptação Escolar em Portugal

Como já contei na minha apresentação no blog, estamos cá em Portugal, desde 2017.

Chegamos aqui em período de férias escolares, e essa já foi uma das diferenças encontradas.

Além dos horários integrais, entrada 8:30 e saída as 17:30, as férias são também bem diferentes do que estávamos acostumados.

O calendário escolar de Portugal funciona assim:

  • 1° Período: 17 de setembro a 14 dezembro;
  • 2° Período: 3 de janeiro a 5 de abril;
  • 3° Período: de 23 de abril a 21 de junho;

Ou seja durante o ano letivo existem três períodos de férias, as do Natal que são aproximadamente 15 dias, as de Páscoa  que também giram em torno de 15 e as grandes férias de junho (no verão daqui) que duram quase três meses.

Nossa experiência em meio a tantas adaptações foi muito tranquila, tivemos sim algumas dificuldades, pois existem algumas burocracias que nos fizeram esquentar um pouco a cabeça.

Os documentos necessários  para a  matrícula são:

  • Cartão de Cidadão / Bilhete de Identidade / Cédula Pessoal / Passaporte / Autorização de Residência /
  • Outro (a devolver depois de conferido);
  • Número de Identificação Fiscal do aluno; NIF ( nosso CPF aí no Brasil)
  • Boletim Individual de Saúde atualizado (a devolver depois de conferido); ( é necessário fazer uma “atualização” das vacinas no centro de saúde a qual pertencerem).
  • Documentação médica comprovativa da deficiência, se esta for mencionada pelo encarregado de educação;
  • Fotocópia da Declaração da Segurança Social (onde consta o NISS e Escalão) do aluno;

Esse foi o que mais nos trouxe transtornos, pois exigiam a matrícula das crianças e para fazer a matrícula exigiam o escalão, enfim conseguimos primeiro a matrícula. Escalão familiar é um estudo do governo sobre os rendimentos familiares e será por este estudo que será definido quanto cada criança vai pagar na compra dos materiais escolas e refeições dentro da escola.

Crianças documentadas e devidamente matriculadas, recebemos o convite para a apresentação de salas e professores.

escola em portugal
Fachada da escola do meu filho mais novo

No dia da apresentação as crianças não tem aula, elas participaram junto da família das apresentações.

Ficamos sabendo quem será seu professor encarregado, seria uma espécie de coordenador de cada turma, será com este professor que teremos “livre acesso” e quem sempre irá representar a turma dos nossos filhos.

Nesta reunião nos entregam o calendário do ano, junto com um breve manual de direitos e deveres dos alunos.

Dentro do currículo escolar eles tem incluso o inglês, desde as primeiras séries, francês à partir o 7°ano e a partir do 9° pode se optar pelo alemão ou espanhol (isso geralmente vai depender de que professor a escola terá disponibilidade).

Os ciclos escolares são divididos por faixa etária:

1° Educação pré-escolar: também chamada de educação de infância tem como alvo as crianças dos 3 aos 5 anos, é de frequência facultativa e existem jardins-de-infância particulares e públicos. Os públicos são gratuitos. Embora sejam facultativos, as crianças acabam por ir para a escola muito antes dos 3 anos porque grande parte das mães trabalham fora e as crianças, não tendo com quem ficar, vão para a escola.

2° – Ensino Básico:

– 1º Ciclo, do primeiro ao quarto ano para as crianças dos 6 aos 10 anos;

– 2º Ciclo que inclui o 5º e 6º ano para as crianças dos 10 aos 12 anos;

– 3º Ciclo que vai do 7º ao 9º ano para as crianças de 12 a 15 anos.

Essa escolaridade corresponde ao ensino fundamental no Brasil. As notas no ensino básico são de 1 a 5.

3°– Ensino Secundário: Inclui o 10º, 11º e 12º ano para os adolescentes entre os 15 e 18 anos.

No final do ensino secundário o estudante fará o Exame Nacional e é a média das provas feitas que dará acesso ao ensino superior.

E afinal as escolas são públicas mesmo?

Sim e não, sim porque não existe uma mensalidade a ser paga, porém como aa crianças fazem suas refeições na escola, essas são pagas por mês.

O material didático também é pago, a partir do quinto ano (aqui na cidade onde moro, mas pode variar), e normalmente as escolas públicas são frequentadas por toda a sociedade, existem sim escolas particulares, mas em quantidade absurdamente menor, e somente nelas as crianças utilizam uniformes.

Uma das sensações que estranhei no início era que dificilmente se encontra crianças pelas ruas no horário escolar, muito dificilmente mesmo, porque como dizem cá, “os miúdos estão a estudar”.

* miúdos aqui é a forma como chamam as crianças, e eu particularmente acho muito carinhosa.

Nota da Editora:

Quer ver/ouvir alguns casos? Indicamos este vídeo:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s