Belém do Pará com crianças! Roteiro!

Visito Belém 1 vez por ano a trabalho. Esta foi a minha 15ª visita e foi muito especial por levar meu filho comigo. Já tinha ido grávida e com ele novinho enquanto amamentava (10 meses e 1 ano e 10 meses). Fiz um relato breve no instagram sobre o porquê de ser tão especial leva-lo. Colocarei no final.

Belém é muito rica em cultura, história, culinária e natureza. São tantas informações que vou transformar isto numa pequena série de posts. Hoje falarei apenas de uma ideia geral e uma sugestão de roteiro.

CLIMA e ÉPOCA PARA VISITAR
Isto é muito importante. No norte eles consideram o verão deles no meio do ano. Como falam lá: “É quente o ano todo, a diferença é quando chove mais ou chove menos”. Pense que a tarde vocês precisarão fazer uma pausa de pelo menos 1 hora por conta da chuva. Vale deixar os programas para locais fechados por volta das 14 ou 15h quando a chuva costuma chegar. Junho e Julho é o tempo de “seca”, chove muito menos, mas a temperatura também é muito quente. Não recomendo ir em janeiro ou fevereiro. Nestes meses já enfrentei chuva o dia todo, sóo variando a intensidade.

A chuva é forte. Geralmente sabemos quando ela irá chegar pelo vento que vem primeiro. O guarda-chuva é imprescindível tanto para o momento da chuva quanto para proteger do sol. Leve protetor! Já fiquei bronzeada por andar 1 quarteirão no sol de meio dia.

A boa notícia é que a cidade é muito arborizada e costuma ter um vento delicioso na beira do rio. As praças são belíssimas!

Basílica com sol e  a chuva chegando – Basílica logo depois com chuva

LOCOMOÇÃO
As calçadas de Belém são bem estreitas na área do Comércio e de pedras irregulares por quase toda a cidade. Por conta da chuva o vão entre a rua e calçada é grande. Indo com bebês indico carrinhos com rodas grandes e se possível com a capa de chuva.
A boa notícia é que Uber chegou forte em Belém. Como tudo é pertinho, boa parte das corridas custa entre 5 e 10 reais. Muito difícil passar de R$15. O táxi do aerpoporto para cidade fica emtre R$35 e R$45.

ONDE FICAR
O bairro que mais gosto é o Nazaré. Além de bem localizado, oferece muitas opções de restaurantes dos mais variados valores e tem soluções perto para a noite. Fiquei muitos anos no Manacá quando ainda era pousada, mas não me hospedei lá após a reforma e mudança de administração.
SUGESTÃO DE ROTEIRO
(Não vou colocar o nosso pois como fui a trabalho não consegui fazer tudo)
Muitas opções de passeio acontecem apenas nos finais de semana. Lamentável, mas é a realidade, por isto indico começar pelos Museus.

1º DIA (caso seja dia de semana)

Espaço São José Liberto – Polo Joalheiro
Patrimônio Histórico do Estado do Pará.

O Museu tem visitação paga e não é possível tirar fotos dentro. Lá poderão ver pedras preciosas (algumas bem grandes) e moedas antigas. O espaço é bem pequeno. A visita no museu dura apenas alguns minutos.

Lá também é possível ver ourives em ação e até encomendar uma joia e vê-los preparando, ao lado fica a sala de lapidação.

As lojas ficam nas antigas celas. É possível encontrar joias de todos os valores.

02-polo-joalheiro-belem-para

Mangal das Garças

É um parque ecológico com 40mil m2. A entrada é gratuito para o parque e deque, mas as demais atrações são pagas. São elas: borboletário, aviário, museu e torre com vista para o Rio Guamá e a cidade.

O parque é muito bonito com guarças, flamingos e outros animais soltos. É possível também ver bem a flora da região.

Lá se encontra também o restaurante Manjar das Guarças. É um dos mais caros de Belém, mas já foi premiado.

02-mangal-das-garcas-belem-para

Período da tarde

Theatro da Paz

02-theatro-da-paz-belem-para

Indico almoçar no próprio Mangal ou outro restaurante da região com calma e curtir a chuva.

Caso não queiram esperar a chuva passar a primeira visita do Theatro ocorre às 14h. A visita é uma aula de história passando pelo período do Ciclo da Borracha. En

volve também história das Artes.

Indico ligar antes. Infelizmente muitas vezes as visitações são suspensas devido a eventos, filmagens ou ensaios. Vale verificar a agenda pois é possível assistir espetáculos por apenas R2,00.

Forte do Presépio
Normalmente eu deixaria para o final de semana, mas infelizmente agora eles fecham ao meio dia aos sábados e domingos. Como o pôr-do-sol lá é muito bonito, indicaria um final de tarde lá. Caso achem muito, podem deixar para outro dia.

O Forte foi a primeira construção de Belém, oferece uma bela vista para o Ver-O-Peso e a Bahia e um Museu pequeno, mas muito interessante. O museu é uma espécie de “sítio Histórico da Fundação de Belém”, composto pela própria edificação com seus vestígios arquitetônicos e artilharia militar; além disto mostra o processo de colonização portuguesa na Amazônia em três momentos – pré-contato, contato e resultado do contato. O acervo inclui artefatos líticos e cerâmicos pré-históricos, além da cultura material obtida das escavações no local e seu entorno. (Lucas adorou saber que lá também tinham sambaquis. Estudou recentemente o período pré-histórico).

Ao lado do forte tem o Museu de Arte Sacra. Não indico com crianças. O tema geralmente não os atrai muito, mas não indico pelo forte cheiro de mofo do local. Fui uma vez com minha mãe que passou muito mal com alergias depois.

Vale entrar na Catedral de Belém. Basta atravessar a praça em frente ao Forte. É uma igreja belíssima.

Caso tenham mais dias, iria na Praça Batista Campos e após o Theatro da Paz. É uma das mais belas de Belém e deixaria o Forte para outro dia (escolhendo alguma praça pela manhã)

04-forte-do-presepio-belem-para

 

2º DIA
Parque do Utinga
O mais novo parque ecológico da cidade! Bem cuidado. As atrações maiores são as atividades pagas. Entre elas é possível fazer um passeio de boia cross pelo rio com duração de 50 minutos, alugar bicicletas ou até mesmo trilhas guiadas e stand up (estes dois últimos apenas nos finais de semana).

Remanso do Bosque
É um restaurante muito perto do Bosque Rodrigues Alves, premiado, com comida deliciosa sem grandes requintes (o que ganha ponto com as crianças) e acessível se comprararmos com restaurantes do Rio e SP. Eu acho imperdível!

Bosque Rodrigues Alves
Uma mistura de zoológico com flora. Achei o espaço precisando de mais cuidados. A visita pode ser rápida. Gostamos muito de ver a Jaguatirica, o Peixe Boi, oTucano de peito branco e a Arara Azul.

3º DIA

Museu Emílio Goeldi
Infelizmente nunca consegui ir. Sempre preciso ir a algum cliente ou acontece de estar fechado. Coloco pois sempre me recomendam visitar.

Peguei a dica da Anna Xavier no Google pois descreve bem o que ouvi falar.
” Com muitos animais, uma grande variedade de espécies da floresta amazônica, um aquário com serpentário e funcionários muito gentis e dispostos a ajudar. No aquário procurem Kézia, uma bióloga apaixonada pelas serpentes e pela biodiversidade paraense.” Acrescento que lá poderão ver vitórias-régias.

Parque da Residência
Quase ao lado do Museu. Antiga residência oficial do governador, um espaço bonito onde as crianças podem brincar. Não entro a muitos anos, mas Lucas amou o trem que tinha dentro para entrar e tirar fotos. Lá encontra-se o Restô do Parque, com almoço a quilo durante a semana. Muito gostoso e ótimo para ir com crianças.

Basílica de Nazaré
É onde fica a famosa imagem de Nossa Senhora de Nazaré, com inúmeros relatos de milagres atribuidos a ela. Mesmo que você não seja católico, vale a visita. Além da basílica ser belíssima (a terceira do país), a energia pela fé das pessoas é incrível.

Ao lado da Igreja tem a lojinha. Se for católico visite a loja antes da missa. Nas missas durante a semana existe o hábito de aspergir água benta no final para abençoar os fiéis e seus objetos.

Na frente da igreja possui uma praça com a imagem. Indico apenas no final de tarde para brincar na praça. Como não possui sombras, só neste horário fica movimentada.

06-basilica-de-nazare-belem-para

Tacacá
Perto da Igreja, na calçada quase do lado do Colégio Nazaré, fica um dos melhores (se não o melhor) Tacacá de Belém. Tacacá é uma sopa típica feita com camarões, jambu (erva que dá o geladinho na boca e comendo muito uma leve dormência), tucupi e goma de tapioca. (Tucupi é o caldo extraído da tapioca e presente em muitos pratos típicos). Eu pediria sem a goma, geralmente só os paraenses (e nem todos) gostamd e tomar com a goma). Eu gosto e sempre tomo. Já trouxe algumas vezes o tucupi deles para usar na cozinha aqui de casa).
Para as crianças menos aventureiras, o bolo de macaxeira (aipim), é delicioso e alimenta muito bem.
Importante: O Tacacá deles começa a ser vendido lá pelas 16h.

Caso não quiseram sair da praça, indico entrar no restaurante em frente chamado Estação GOurmet, oferece almoço a quilo. A torta de cupuaçu com queijo é divina! Minha mãe quando foi queria comer todo dia.

4º DIA (final de semana)

Parque do Utinga

O mais novo parque ecológico de Belém. Recomendo ir cedo pois possui pucos pontos com sombra. Lá é possível fazer caminhadas, trilhas e o boia cross (passeio de boia pelo rio). As bicicleas família indico reservar antes online.

Algumas trilhas são longas, o boia cross dura 50 minutos. Indo cedo dá opara conciliar muito bem com o passeio seguinte.

Ilha do Combu
Virou burburinho para almoço nos finais de semana. Ainda não consegui visitar. Você pega um barco comum (famoso popopó) ou lanchas para ir até a ilha almoçar. Os valores são bons é é possível tomar banho de rio. A que os paraenses mais me indicaram para ir com crianças foi  Chalé da Ilha.

5º DIA

Praça da República (domingo)
A praça é linda e grande. Aos domingos ocorre a feirinha onde podem comprar comidas típicas, artesanato local, peixes, instumentos musicais bem diferentes. Além disto ocorrem apresentações de capoeira, grupos folclóricos, encontros de grupos. Se quiserem é possível almoçar ali mesmo na praça. Levem uma canga e façam um piquenique quando a fome bater.

Estação das Docas
A antiga área portuária que foi reformada. Muito bonita e na frente da Bahía do Guamá.O espaço é fechado com vidros e refrigerado.
Nos finais de semana tem música ao vivo durante a maior parte do dia. Os restaurantes oferecem buffet no horário de almoço. O que mais gosto é o Lá em Casa. Se gostar de bacuri peça o arroz de bacuri para comer com filhote (peixe da região).
Bom para almoçar ou jantar.
Caso queira fazer um lanche tem doces deliciosos no quiosque As Mulatas e os melhores sorvetes de fruta do mundo são da Cairu. Aliás, a Cairu tem em diversos pontos da cidade e vale tomar mais de um dia.
Para amantes de cerveja lá tem também a Amazon Beer, cervejaria que oferece cervejas diferentes como a de açai. São gostosas e a linguiça recheada vale a pena.
Na Estação tem muitas lojinhas, mas quase tudo pode ser encontrado mais em conta na feira da Praça da República. Para quem gosta de cachaça indico experimentar as de jambu e açai.

Da Estação saem muitos passeios de barco. O mais rápido dura 1hora e meia e inclui apresentação de dança típica.
5 dias dá para conhecer bem Belém sem pressa. Algumas pessoas incluem um período maior para aproveitar e conhecer a Ilha de Marajó. Espero que tenham gostado da sugestão.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s