Os filhos e o tempo

Filhos não podem esperar!

Há um tempo de se esperar a chegada do bebê, tempo de consultar o médico;

Um tempo de planejar dieta e exercício,

tempo de preparar o enxoval.

Um tempo de sonhar com o que essa criança poderá ser.

Um tempo para me preparar para alimentar sua alma.

Mas eis que logo chega o tempo de nascer; pois os bebês não podem esperar.

Há o tempo de amamentar à noite, tempo de cólicas e de leite em pó.

Há o tempo da cadeira de balanço e o tempo de andar pela casa toda, o tempo para paciência e para o auto sacrifício,

Há o tempo de meditar no que ele é, não um bichinho de estimação ou um brinquedo, mas uma pessoa, um indivíduo, uma alma feita a imagem de Deus.

Há um tempo de considerar minha mordomia, não me cabe possuí-lo . Ele não é meu, fui escolhido para cuidar dele, amá-lo, para alegrar-me nele, para educá-lo, e para responder por ele perante Deus.

Há um tempo de abraçá-lo bem forte, há o tempo de deixar os pratos na pia e levá-lo para balançar no parque, de apostar corrida, fazer um desenho, apanhar uma borboleta e de lhe dar uma amizade alegre.

Há tempo de lhe mostrar o caminho, de ensinar seus lábios infantis a orar.

Há um tempo de cantar em vez de resmungar, de sorrir ao invés de franzir a testa, de enxugar as lágrimas com um beijo e rir dos pratos quebrados.

Um tempo de compartilhar o melhor de mim com ele, o melhor de mim nas minhas atitudes – amor a Deus, amor pela vida, amor à família.

Há um tempo de responder as suas perguntas, todas as suas perguntas, porque pode vir um tempo em que ele não queira minhas respostas.

Há um tempo de ensinar-lhe pacientemente a obedecer, a guardar seus brinquedos.

Há tempo de assisti-lo a sair bravamente para escola, de sentir falta de alguém a quem cuidar. E de saber que outras mentes recebem sua atenção, mas que eu estarei ali para atender o seu chamado quando ele voltar para casa, e irei ouvir ansioso a história do seu dia.

Há um tempo de lhe ensinar independência, responsabilidade e auto confiança. Tempo de ser firme mas amigável, de disciplinar com amor. Pois cedo bem cedo, haverá o tempo de deixá-lo partir.

Pois os filhos não podem esperar.

Há tempo de guardar como tesouro cada efêmero minuto de sua infância.

Apenas dezoito preciosos anos para inspirá-lo e treiná-lo.

Não trocarei esta primogenitura por um ensopado qualquer, seja ele posição social, negócios, reputação profissional, um cheque de pagamento.

Uma hora de cuidado hoje pode evitar anos de sofrimento amanhã.

A casa há de esperar, a louça há de esperar, a reforma da casa pode esperar, mas filhos não podem esperar.

Há um tempo já não se ouvirão portas batendo, nem haverá brinquedos na escada, ou brigas de infância, ou arcas de dedo na parede.

Então olharei atrás com alegria em vez de remorso. Haverá um tempo de olhar para trás e saber que estes anos não foram desperdiçados.

Deus me dê sabedoria para perceber que hoje é o meu dia com meus filhos, que há momentos em suas vidas que não seja importante.

Que eu possa saber que nenhuma outra carreira é tão preciosa, que nenhum outro trabalho é tão recompensador, que nenhuma outra tarefa é tão urgente. Que eu não a protele, nem a negligencie. Mas que eu a aceite alegremente, que o tempo é agora, pois os filhos não podem esperar!

Helen M. Young

.

Que tempo você está vivendo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s