Ora-pro-nóbis, a super rica carne de pobre!

ORA-PRO-NÓBIS

Você conhece essa planta?

Quando nos mudamos para nossa nova casa, a vizinha do lado me falou que tinha uma planta ora-pro-nóbis e que era ótima para saúde. Fui pesquisar e é incrível, além de cheia de estudos científicos que comprovam os famosos benefícios.

Ah, o nome vem de “rogai (orai) por nós”, em latim. Legal né?

E como incluir essa PANC (sigla para plantas alimentícias não convencionais) na dieta?

Bastam 100 gramas de ora-pro-nóbis por dia para garantir as necessidades diárias de ferro, zinco, manganês, cobre e também vitaminas A e C em adultos.

Dizem que podemos consumir as folhas cruas ou em refogado, o que aumenta ainda mais a versatilidade. A culinária mineira (que AMO) usa em ensopados, dizem que a goiana também usa assim.

Minha amiga Cibele (com quem troco ideias e mudas de horta em casa, kefir e aprendo sobre levain, a fermentação natural de pães) me disse que usa nas omeletes e no suco verde.

Ontem puxei esse papo com ela e já me mandou foto do seu vaso na varanda. Sugeri para meus pais (que moram no Paraná) que podiam cultivar na varanda também e, voilà!, a diarista deles já ofereceu muda. Hoje cedo já tinha uma porção para meus velhinhos usarem no almoço.

😊

Deus é bom o tempo todo 🙏🏼

Se você usa a planta 🍃 e tem dicas de receitas, por favor, me conte! Estou animada para testar e incluir no cardápio.

🥗🍲🥘🥙🌯

E se você ainda não conhece, passa lá no #postnoblog onde reuni muitas informações e uma aula ótima do Dr. Fernando Lemos (Planeta Intestino).

Quer plantar?

A Embrapa já orienta sobre o manejo comercial, isso, como negócio!

Como plantar para consumo próprio o ora-pro-nóbis?

Sendo uma planta rústica, a criação dela demanda poucos cuidados: ela pode ser cultivada em casas e apartamentos, embora precise de certa quantidade de sol. A rega deve ser feita cerca de duas vezes por semana, com cuidado para não encharcar o solo.

Para criar a ora-pro-nóbis em jardins, basta colocá-la em uma cova na terra — ela não exige muita adubação, apenas um solo rico em matéria orgânica. Por isso, para criá-la em vasos, é preciso usar húmus de minhoca. Em todos os casos, oferecer suporte para os ramos, como estacas de madeira, é importante para o crescimento — já que se trata de uma trepadeira.

Como fazer mudas de ora-pro-nóbis?

É possível colher as folhas a partir dos três meses — mas, para isso, recomenda-se cortar todo o galho. Um galho com cerca de 20 centímetros já é o suficiente para criar outra muda de ora-pro-nóbis. Para tanto, recomenda-se colocar o broto em um saco plástico com húmus e realizar a rega diária até que ele comece a enraizar. Depois, é possível transplantá-lo para outro local.

Com tantas propriedades benéficas, possibilidades de uso, além da praticidade para plantar e colher, é compreensível que a ora-pro-nóbis esteja ganhando cada vez mais fãs em todo o País, muito além dos fiéis das igrejas mineiras. Veja aqui.

Para que serve o ora-pro-nóbis, das flores ao broto:

Flores: elas também são comestíveis e colaboram na finalização de pratos. Além disso, atraem abelhas e se fazem essenciais para a produção de mel.

Fruta: a coloração alaranjada denuncia a presença de betacaroteno, substância aclamada pela ação antioxidante. É matéria-prima de geleias, sucos, licores, compotas…

Broto: cheio de fibras, o talinho, que muitos chamam de ponteira, é a parte jovem do ora-pro-nóbis e lembra o aspargo. Crocante, costuma ser degustado cru.

Como plantar e cultivar ora-pro-nóbis

Onde achar: a muda não é comercializada em centros convencionais. A solução é procurar em viveiros e até em feiras de produtos orgânicos.

Dê apoio: escolha vasos grandes e apoie a espécie com estacas enfiadas na terra. Por ser uma trepadeira, ela necessita desse sustento.

Banho de sol: como é da família dos cactos, o ora-pro-nóbis precisa de luz solar. Em apartamentos, aconselha-se deixá-lo próximo a janelas.

Nada de encharcar: em ambiente externo, o ideal é plantar na primavera por causa das chuvas. Quanto à rega, não abuse — mas jamais deixe a terra seca.

Tempo de colher: em geral, a primeira colheita das folhas ocorre 120 dias depois do plantio. Daí é só fazer experimentações na cozinha.

A manutenção: para que não cresça demais, realize podas, em média, a cada dois meses. Use luvas ao manusear a planta, já que ela tem espinhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s